Uma noite, há vários anos, o pai de Taylor Momsen levou sua filha a um show do White Stripes. “Antes disso, o único concerto que eu tinha ido foi da Britney Spears”, diz o cantor, compositor e guitarrista. “Mas uma vez eu vi Jack White no palco, era isso. Eu cresci como um dançarino e eu pensei que você que ser uma menina da indústria da música. Então eu vi o White Stripes, e eu era como, “Não, você não. Eu posso fazer isso.” Momsen tinha nove anos.

O poder de Jack White provou ser altamente influente para Momsen agora com 16 anos de idade, que começou a cantarolar melodias antes que ela pudesse falar e escrever canções em menos de cinco anos após a queda do amor com o Beatles. “Eu era obcecada com eles”, diz ela. “Eu também gostava de Led Zeppelin, The Who, Pink Floyd, Audioslave, Soundgarden, Oasis e Nirvana. Isso é o que eu escutei. Meus ídolos de rock são todos os homens.”

Portanto, não é surpreendente que Momsen tem uma energia masculina acesa, isso se prova no seu álbum de estréia com sua banda The Pretty Reckless. As canções, todas escritas por Momsen e Ben Phillips com o seu produtor Kato Khandwala, mostra uma mistura de emoções, às vezes alternando entre a raiva e uma vulnerabilidade machucada. A Ferocidade do álbum poderia levantar uma sobrancelha daqueles que esperavam ver uma adolescente loura e bonita, gravar canções de POP que são ouvidas hoje em dia. “É mais pesado do que as pessoas podem esperar de mim”, diz Momsen, que é mais conhecida como a atriz que interpreta Jenny Humphrey de Gossip Girl da CW. “Mas este álbum é a expressão mais honesta de quem eu realmente sou.”

Momsen é uma jovem inteligente e com muitos complexos, e por isso desenvolveu uma identidade forte, apesar de crescer na indústria do entretenimento notoriamente crítica e instável. Nascida e criada em St. Louis, Missouri, Taylor passou a maior parte de seu tempo em Nova York e aos treze anos, ela se mudou para Manhattan. Aos dois anos de idade, Momsen assinou um contrato para uma agência de modelos e um ano depois, ela começou a atuar profissionalmente aparecendo em comerciais, em filmes como O Grinch. Em 2007, Momsen foi lançada como um avanço no seriado CW Gossip Girl.

“Eu não escolhi ser modelo, fui atirada nesse trabalho”, diz Momsen. “Eu gostei, de modo que não era um problema, mas música e composição são o que eu sempre quis fazer. Eu tenho trabalhado com os produtores e saio para estúdios de gravação desde que eu tinha cinco anos, eu simplesmente não conseguia colocar para fora um álbum quando eu tinha oito anos”, diz ela com uma risada. “Agora eu posso.”

LIGHT ME UP é uma crônica honesta de experiências de Momsen, filtrada através de seu ponto de vista único. “O CD é sobre a vida”, diz ela. “Ele cobre tudo: amor, morte, e da música em si. É rock and roll. É o sexo. É drogas. É a religião. É política. Cada canção conta uma história sobre os ensaios e atribulações emocionais e lutas que eu tenho experimentado ou observado. Não é um disco pop feliz, mas não é satânico. As letras não são destinadas a ser interpretadas literalmente, estão abertas a interpretação.”

As canções enfrentam tudo da insegurança romântica (“Make Me Wanna Die”, que também aparece na trilha sonora do filme Kick-Ass), para o desespero (“You”), a forma como trabalham sem parar você pode se sentir como um dos mortos-vivos (“Zombie”). Momsen empurra de volta contra os inimigos em “Light Me Up” e pergunta o quanto você tem que ir para obter o perdão de “Going Down”. Cansada da vida, Momsen pode fazer tudo: um rock de garagem como (“Miss Nothing”), um rock blues (“My Medicine”, “Since You’re Gone”), assim como baladas (“Just Tonight”) e as encantadoras guitarras acústicas (“You”).

“Eu não só estou escrevendo alguma coisa, porque eu acho que as pessoas podem gostar dele”, diz Momsen. “Espero que eles gostem, mas eu estou escrevendo porque eu tenho algo a dizer. Tantos sentimentos vão para as letras que é difícil explicar o que somos.” Momsen foi ligada primeiro com Khandwala (Blondie, Drowning Pool, Paramore, Breaking Benjamin) e o parceiro e compositor, Phillips, em Outubro de 2008. Na primavera do ano passado, eles sentiram que tinham batido em cima de um som que deu certo.

“Nós três temos um gosto musical semelhante, por isso foi fácil achar que uma visão singular”, diz Phillips. “Kato e eu trabalhamos muito duro para ajudar Taylor a alcançar seu potencial, pois pudemos ver quão talentosa ela é. Ela entrou na cabine de voz e começou a cantar e nós viramos um ao outro e dizia: ‘Mas que merda, ela é fod* demais! ” Sua voz foi surpreendente. Assim, muitos artistas nos dias de hoje deixam que suas vozes sejam modificadas por computadores. Taylor não faz isso. Ela não precisa. Ela pode chutar o traseiro de qualquer um!”.

· · ·

Texto traduzido por Taylor Momsen Brasil

4.373 visualizações